quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Com papel e com talento



Quem vê a miniatura pronta custa a creditar! É de papel? É mesmo! Dono de refinada técnica, o desenhista gráfico Cláudio Moreira, hoje com 52 anos, começou a desenvolver sua arte aos 10. O garoto era apaixonado por veículos e teve a idéia de desenhar portas, faróis e janelas em caixinhas de pasta de dente. A próxima fase foi a instalação das rodinhas.
— Eu tinha brinquedos bons, mas nada comparado a uma boa caixinha de pasta — recorda-se Cláudio.

Como sempre teve muito talento para o desenho, logo veio a idéia de usar cartolina, cola, tesoura, réguas e lápis de cor para desenvolver seus próprios carrinhos. Mas não passou mesmo de uma brincadeira de criança.

Já adulto, em meados dos anos 1990, Cláudio começou a frequentar as reuniões do Opala Clube do Rio de Janeiro, que aconteciam no Leblon. Desenvolveu então uma miniatura do Opala e levou para a turma ver. O sucesso foi imediato, já que não havia miniaturas do modelo a venda no mercado, como aliás acontece até hoje com a maioria dos automóveis nacionais. Assim surgiram as primeiras encomendas e o que começou como brincadeira de garoto e depois virou hobby é hoje é uma importante fonte de renda do artista que vive no bairro do Rio Comprido.

Cláudio é capaz de reproduzir qualquer modelo, usando o papel como principal matéria prima. E o resultado é surpreendente, pela riqueza de detalhes e fidelidade ao automóvel de verdade. O primeiro passo é fazer no computador o desenho da carroceria, baseado nas fotos do carro enviadas pelo cliente, nas fichas técnicas e outras informações e detalhes pesquisados na Internet. Depois vem a adequação do desenho à escala encomendada pelo cliente. Geralmente são 1x25, ou 1x36, mas podem ser feitas em outras escalas desde de que haja condições para se executar o trabalho, de modo a apresentar um resultado de boa qualidade. O desenho da carroceria é então impresso em papel triplex. As demais peças de acabamento, como parachoques, faróis, bancos, etc... são feitas separadamente, montadas e incorporadas ao carro. Vem então a fase de pintura e finalização.

Em função da secagem da cola e das tintas, cada miniatura não leva menos de 5 dias para ficar pronta. O papel representa 90% do material utilizado. O restante fica por conta de cotonetes, paus de pirulito, embalagens de comprimidos, chapas de off-set...
— Nada vai para o lixo antes do meu crivo rigoroso para avaliar futuras utilidades! (risos) — diverte-se Cláudio.

Autodidata, o artista não tem idéia de quantas miniaturas já fabricou até hoje. E em função do tempo que leva para faze-las, não consegue formar um grande acervo próprio, trabalhando apenas por encomendas. E a divulgação de seu trabalho é basicamente na base do boca-a-boca (nós, do Portal Maxicar, tomamos conhecimento de seu ofício num encontro de automóveis antigos que aconteceu em São Pedro da Aldeia –RJ, em maio de 2010, quando o antigomobilista Marcos Canedo nos apresentou seu mini Monza S/R 1986, idêntico ao "de verdade" que possui).

O valor de cada miniatura parte de R$ 150,00 levando-se em conta sua complexidade e escala a ser usada. Cláudio já trabalhou em projetos bastante complexos, mas sempre encara esses desafios com muito entusiasmo.
— Tenho feito apenas automóveis, a partir das encomendas que recebo. Mas incursões em outras áreas seriam divertidas, como trens, aviões, navios, casas, abajures... sei lá! Se eu concluir que com o material que eu uso, determinado trabalho vai ficar bom, por que não fazer, não é mesmo?

Contatos:
Cláudio Moreira
claudio1592@gmail.com
Tel.: (21) 8276-5054

Texto: Equipe do Portal Maxicar
Fotos: Divulgação
Fonte:
www.maxicar.com.br/old/reporter/35316miniaturaspapel.asp

3 comentários:

Nanael Soubaim disse...

Para casos como este, sugiro acrescentar "talento" às tags, porque ele tem muito.

Rui Amaral Lemos Jr disse...

Parabens Cláudio, belo trabalho.

Abs

Rui

VINICIUS DEVIDÉ disse...

PARABÉNS, NÃO SÓ PELA PERFEIÇÃO, MAS POR TODA DEDICAÇÃO E AMOR, PORQUE SÓ QUEM GOSTA DO QUE FAZ, FAZ COM ESSA PERFEIÇÃO....SE TODOS OS PROFISSIONAIS NÃO TRABALHASSEM SÓ PELO DINHEIRO E SIM PORQUE GOSTAM DO QUE FAZEM, TALVEZ HOJE PODERÍAMOS CONFIAR MAIS NOS "PROFISSIONAIS", BOM, MAS VOLTANDO AO TRABALHO DE CLÁUDIO, SÓ TENHO DE DEIXAR MINHA ADMIRAÇÃO!! E ADORARIA VÊ-LO FAZER UMA RÉPLICA DO MEU MIURA TARGA AMARELO, GD ABRAÇO A TODOS!!!