domingo, 1 de setembro de 2019

Mais uma vez o Fusca dá adeus.


A Volkswagen encerrou oficialmente a produção mundial do Fusca (agora chamado apenas de Beetle) 10/07/2019, em sua fábrica em Puebla, no México.

É o fim da estrada para um nome que simbolizou muitas coisas ao longo de uma história que abrange oito décadas desde 1935. A medida já tinha sido anunciada no ano passado, quando a Volks lançou a Beetle Final Edition.
  

As últimas 65 unidades serão vendidas no México apenas pela internet, por US$ 21 mil para o modelo básico. Cada veículo tem ao lado esquerdo uma placa comemorativa seriada do 1 ao 65. As cores de pintura disponíveis são azul metálico, preto, branco e bege.

De popular a luxuoso, a história do Fusca/Beetle:
  • Lançado em 1935 na Alemanha como "Volkswagen", o Fusca teve seu desenho original feito pelo então designer Ferdinand Porsche;
  • Revolucionário, seu desenho guardava peculiaridades como a ausência de uma janela traseira;
  • Em 1936, o Fusca passaria por sua primeira alteração visual, adotando as duas pequenas janelas traseiras;
  • As primeiras unidades oficiais começaram a ser produzidas em série em 1938;
  • Em 1939, o modelo serviria de base para diversos veículos militares com o início da Segunda Guerra Mundial;
  • Em 1959, o Fusca começou a ser produzido no Brasil;
  • Em 1984, o modelo passou a utilizar o motor 1600 com 46 cv de potência;
  • Dois anos depois, em 1986, o Fusca teve sua produção encerrada no país, mas continuaria em linha no México;
  • Em 1993, o então Presidente da República, Itamar Franco, pediu a volta do modelo em terras brasileiras; ele passou a ser conhecido como "Fusca Itamar";
  • O retorno durou pouco e, em 1996, o Volks saiu definitivamente de linha. No México, porém, ele permaneceu em produção até 2003;
  • Batizada de New Beetle, a reedição do modelo foi apresentada ao mundo em 1997; e dava adeus ao legado popular do modelo: passou a ser um modelo bem mais caro;
  • Diferentemente da antiga geração, o New Beetle compartilhava o conjunto mecânico com o Golf, sendo equipado com motor 2.0 a gasolina e câmbio automático de 4 marchas;
  • Em 2006, o New Beetle recebeu sua primeira reestilização. E ficou em linha até 2011;
  • No mesmo ano, um novo modelo foi apresentado de forma global com uma novidade: cada país teria o modelo batizado com um nome diferente, remetendo ao nome de maior sucesso do antigo Fusca naquele território. No Brasil, Fusca; nos EUA, Beetle;
  • O novo Fusca chegou ao mercado brasileiro em 2012, com motor 2.0 turbo e opção de câmbio manual ou automatizado de dupla embreagem. Foi apresentado por Neymar, na época garoto-propaganda da montadora;
  • Em 2017, ele deu adeus ao Brasil de forma silenciosa;
  • Em 2018, a Volkswagen anunciou o fim definitivo do Fusca para 2019; as últimas unidades foram chamadas Final Edition
  • Em 10 de julho de 2019, o último Fusca/Beetle sai da linha de montagem de Puebla, no México.


E ai, vai deixar saudades?

terça-feira, 11 de junho de 2019

Fusca com modernidade








segunda-feira, 3 de junho de 2019

Viaturas pelo mundo








Cansado de não conseguir manter uma relação sexual por muito tempo? Clique aqui para maiores informações.

Caso tenha se interessado e queira se livrar de vez desse problema que atinge 40% dos homens, clique aqui e ganhe um desconto de 20%.

quinta-feira, 30 de maio de 2019

Choque de gerações


Talvez, o Volkswagen Fusca tenha sido o seu primeiro carro, o do seu pai, o carro do seu tio, do seu avô...

Independente do motivo ou do seu grau de envolvimento com o carrinho, na verdade o que importa, é que muitos brasileiros até hoje têm muito carinho e cultuam o antigo Besouro.

Muitos brasileiros são apaixonados por Fusca e sentem muita nostalgia, ao ver um modelo andando pelo trânsito.

E por falar em nostalgia, hoje faremos um pequeno comparativo entre um dos primeiros modelos com o atual Volkswagen Fusca.

Teremos aqui, uma visão de gerações completamente diferentes.

Volkswagen Fusca: Uma paixão

São vários os amantes dos modelos antigos do Fusca, que os guardam em suas garagens e de lá só os tiram, para os passeios em domingos de sol.

Porém, apesar de nostálgico, o Fusca ainda consegue ser charmoso e ainda atender suas atividades diárias.

Algumas pessoas, sentem faltam de certos mimos e confortos que não estão disponíveis no Fusca.

Pensando neles, a VW criou um carro com visual parecido com o antigo, entretanto, recheado de equipamentos de conforto e tecnologia.

Antigamente na traseira do Volkswagen Fusca, existia um motor de 1300 cilindradas e na dianteira, acredite, ficava o porta-malas.

Na versão atual do Volkswagen Fusca, isso se inverteu e segue o padrão: motor dianteiro e porta-malas na traseira.

Se você é mais jovem, estranhará essa solução encontrada pela Volkswagen naquela época.

E se você procurar o motor na dianteira de um besourinho antigo, encontrará o tanque de combustível, estepe e pequeno espaço para bagagens.

O cofre do motor, fica onde comumente estaria o porta-malas.

Do Fusca velhinho para o modelo atual, sabe o que sobrou?

Isso mesmo, apenas o nome.

Aqui no Brasil pelo menos, o Beetle, passou a ser chamado novamente de Fusca.

Volkswagen Fusca: Gerações

Mas, a mudança entre eles foi radical.

O que é bom, pois, os últimos modelos fabricados por aqui, no início da década de 90, precisavam de uma atualização urgente.

Em 1998, a VW fez uma tentativa de ressuscitar o Volkswagen Fusca, trazendo um modelo completamente novo batizado como New Beetle, contundo, não conseguiu convencer o consumidor.

A segunda geração que apareceu em 2010, lembra muito melhor a versão original, e trouxe com ela o carisma do antigo modelo.

Todavia, se por fora pode-se encontrar semelhanças, internamente, apenas as alças presas nas colunas permaneceram para matar as saudades.

Volkswagen Fusca: Mudanças

Contudo, no banco traseiro, ele perdeu o assento para o terceiro ocupante e continua apertadinho como nos primeiros modelos lançados no Brasil em 1959.

Agora o acabamento, realmente está completamente diferente.


Impossível achar alguma igualdade entre um e outro, com exceção, das famigeradas alças nas colunas.

Falando em acabamento, não posso deixar de dizer que ele é muito bom, difícil encontrar algum defeito.


Outra grande mudança, foi no painel.
Além dos privilégios típicos dos carros atuais, como por exemplo, o computador de bordo.


No novo Volkswagen Fusca, temos a nossa disposição até um cronômetro, digital e analógico que pode ser ativado quando você arranca o veículo e assim marcar o tempo de uma tocada de 0 a 100 km/h, por exemplo.

Volkswagen Fusca: Desempenho

No fusquinha dos nossos avós, o motor que o equipava, era um 1.3 refrigerado a ar que gerava 46 cavalos e 9,1 kgfm de torque.

Vocês devem estar curiosos, para saber o resultado do teste de velocidade de 0 a 100 km/h, não é mesmo?

Como já devem imaginar, o fusquinha levava uma eternidade para chegar aos impressionantes 100 km/h, nada mais, nada menos do que 45 segundos.

Seu câmbio com engates secos, possuía apenas 4 marchas e o acionamento da embreagem, era pesado.

A velocidade final, não chegava nem ao máximo permitido em algumas estradas brasileiras, o Fusca lutava muito para chegar aos 110 km/h de velocidade máxima.

Já no novo Volkswagen Fusca o papo é diferente

O motor é um 2.0 também com 4 cilindros, porém, tem refrigeração líquida e é turbo alimentado.

O propulsor coloca a disposição do motorista, 200 cavalos de potência e 28,5 kgfm de torque.


Toda essa potência, é administrada por um excelente câmbio automatizado de dupla embreagem e 6 velocidades.

A nova geração do Fusca faz de 0 a 100km/h em 7,5 segundos, e consegue atingir a velocidade de 225km/h.

A suspensão também evoluiu durante os anos

No lugar das barras de torção, um conjunto independente nas quatro rodas, que não deixam o condutor levar sustos, como os que nossos avós tiveram ao entrar mais rapidamente numa curva.

No Fusca atual, a estabilidade é excelente, parece que o carro roda sobre trilhos.

Para melhorar, se abusar um pouco nas curvas, você ainda pode contar, com o auxílio dos controles eletrônicos de estabilidade e tração, contando também com auxílio do ABS.

No charmoso e antigo Fusca, uma freada de emergência, era de uma dificuldade de quem viveu sabe do que eu estou falando, pois a ineficiência dos freios a tambor prevalecia.

Hoje, o Fusca vem com freio a disco nas quatro rodas, acompanhadas do sistema anti bloqueio (ABS), param o fusca com segurança e sem sustos, uma tranquilidade jamais vista nos modelos antigos.

Consumo do Fusca

O antigo motor 1.3 consumia algo em torno de 8,7 km/l de gasolina, em um trecho misto de cidade/estrada.

Já o nosso Volkswagen Fusca atual, com motor 2 litros turbo, consome média de 7,9 km/l de gasolina num circuito urbano e rodoviário.

Finalmente


O Volkswagen Fusca evoluiu muito e nada tem a ver com o modelo do passado.
Independente do seu desejo, qualquer um deles lhe fará feliz, pois, quando o assunto é paixão por carros, não há escolha certa, e se puder ter os dois modelos em sua garagem, melhor ainda.

Quer aprender de forma descomplicada todas as dicas para comprar e/ou vender automóveis clique aqui.
E ai qual vocês preferem, o charme dos modelos antigos ou a modernidade dos modelos atuais?

Novidades em breve