= = = Receba as novidades do PLANETA FUSCA no seu e-mail = = =

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Dicas para comprar um Fusca

Verifique o pé de coluna quanto a pontos de ferrugem (o pé de coluna é o canto inferior das portas no lado da coluna).

- Passe as mãos em baixo das portas e verifique se lá não existem pontos de ferrugem.

- Olhe em baixo do carro quanto a pontos de ferrugem na estrutura do carro, as vezes a estrutura por si só invalida a compra do carro. Lembre-se: Fusca é 70% chassi e 30% carcaça.

- O Fusca original possui uma espécie de isolamento acústico colado no assoalho, se o Fusca que você busca não possuir essa manta de borracha é provável que o assoalho tenha sido trocado.

- Olhe em baixo dos tapetes se há alguma mangueira de passando por ali. Geralmente há uma mangueira com a fiação que vai para o cofre do motor, mas uma segunda mangueira pode evidenciar que a linha de combustível foi refeita por dentro do carro.

- Num Fusca bom as portas devem bater de maneira suave, sem fazer muita força contra o carro.

- As marcas da Volkswagen devem existir em todos os vidros e as borrachas de vidro devem conter o friso de alumínio.

- Verifique cantos de janela, principalmente em baixo das borrachas se há marcas de ferrugem.

- Abra o capô e remova o estepe. Não devem haver marcas de solda ou ferrugem na caixa de estepe.

- Verifique a plaqueta de identificação, principalmente o número do chassi quanto a remarcações. O número deve bater com aquele que fica em baixo do banco traseiro, no túnel.

- O tanque de combustível não deve ter marcas de ferrugem.

- Entre no carro, ligue as luzes, ligue o limpador de para-brisa, pisca-alerta (se houver) e dê seta e luz alta.

- O carpete que cobre o Fusca original possui um entrelaçado natural por baixo (algo parecido com uma fibra natural). Além disso, o carpete original é de tom cinza escuro, quase preto.

- Procure por eventuais reparos com fibra de vidro, é muito comum o reparo das caixas de ar (canto inferior interno das portas) com fibra.

- Ligue o carro, verifique se há queima de óleo. É normal o Fusca queimar algum óleo na partida, mas depois de alguns segundos esta queima deve cessar.

- Olhe se a fiação dentro do cofre do motor está ok e se não há marcas de derretimento ou curto. Olhe também a fiação na frente.

- Lembre-se: O Fusca original (exceto os últimos modelos) possui dínamo e não alternador.

- O carburador não deve apresentar vazamentos de combustível.

- Retire os cabos de vela e veja se o motor possui tucho em algum dos cilindros (o contato da vela estará mais alta que o normal).

- Olhe em baixo do motor e verifique se não há coifas de câmbio rasgadas ou com vazamento (coifas são as borrachas que envolvem a ponta do eixo que sai do cambio em direção as rodas traseiras).

- Veja se não há vazamentos no eixo piloto do motor (peça para um mecânico ajudar).

- Verifique se há folga no volante virando, com o carro parado, a direção até que a roda comece a se deslocar para ambos os lados.

- Olhe atentamente o número do motor e consulte a tabela de códigos de motor no link a seguir: http://www.fuscaclube.com.br/motores.htm

A numeração do motor não deve obrigatoriamente bater com o número do chassi, porém o código de motor (com 2 letras) deve bater com a tabela de motores. A numeração deve ainda estar intacta, sem apresentar raspados, sinais de lixa ou ?tipos de letra? diferentes na mesma inscrição.

- Verifique borrachas de vedação de portas e tampas.

As dicas acima são um resumo do Fusca perfeito, mas vale lembrar que um carro como este as vezes vale a pena ser restaurado, portanto mesmo se o Fusca que você quiser comprar não apresentar todas estas condições pense bem e avalie se o investimento vale a pena.

Um Fusca de R$ 2.500,00 com um investimento de mais R$ 3.000,00 por exemplo não significa que você vai conseguir vender por R$ 5.500,00.

Boa sorte com seu (novo) Fusca!

2 comentários:

Blog da Cidade disse...

Fred,

Excelente matéria e muito oportuna para nossos amigos aficcionados ainda interessados na aquisição de um bom Fusca.

José Eduardo

Nanael Soubaim disse...

Só lembrando que a maioria das peças de reposição no mercado é bem inferior às originais de fábrica, não se deve iludir com "O assoalho tá novinho, acabei de trocar", só há uma marca que produz as peças no padrão internacional e o preço é proporcional à qualidade. Barato demais é sinal de chapa muito fina ou sem proteção.